Mulheres sofrem mais de enxaqueca que homens

por Feito para Ela

Mudanças hormonais fazem com que mulheres sejam mais vulneráveis a sofrer de enxaqueca

Está comprovado que mulheres têm de três a cinco vezes mais crises de enxaqueca do que os homens. Isso ocorre em virtude das frequentes alterações hormonais que o organismo feminino sofre nas diversas fases da vida, sobretudo com o avanço da idade.

Fatores que elevam ou diminuem os níveis de estrogênio, como o uso de pílulas anticoncepcionais, gravidez ou menstruação, podem potencializar a enxaqueca, uma vez que o desequilíbrio hormonal para mais ou menos, pode servir de estímulo para o cérebro e interferir na dor e piorando o quadro.

Podem ser causas potenciais de enxaqueca na mulher:

USO DE HORMÔNIOS

Tratamentos à base de estrogênios ou para controle hormonal, como pílulas anticoncepcionais, formulações injetáveis, implantes subcutâneos, podem servir de gatilhos para quadros de enxaqueca. É preciso ficar atenta para se estabelecer uma relação direta entre o uso de hormônios e eventos de crise.

GRAVIDEZ

A gravidez é um período de muitas transformações no organismo da mulher. As modificações ocorrem de forma acentuada a cada 3 meses durante a gestação, inclusive ao final dela quando o bebê nasce. São períodos em que a mulher vive uma espécie de gangorra hormonal muito intensa e que pode desencadear a enxaqueca ou picos de dor muito fortes, quase insuportáveis. Se você sofre de enxaqueca, deve informar seu médico no início do acompanhamento pré-natal para que haja uma orientação preventiva de como agir, em possíveis eventos de crise durante a gestação.

MENSTRUAÇÃO

O período menstrual é para algumas mulheres uma fase muito difícil, de forte dores abdominais e cólicas intensas. O desequilíbrio hormonal desse período também pode ser um gatilho para ocorrência da enxaqueca, piorando ainda mais as sensações incômodas da fase menstrual. O uso de pílulas anticoncepcionais pode ajudar para equilibrar os níveis hormonais e até mesmo ser recomendado de forma contínua, sem intervalos livre de hormônios, para evitar a menstruação, consequentemente colaborando para evitar a enxaqueca.

ESTRESSE

O aumento das responsabilidades bem como das exigências de tarefas redobradas na rotina da mulher pode contribuir bastante para crises de enxaqueca. Modificações abruptas no estilo de vida, muitas vezes, geram sensações de ansiedade e que podem se transformar em verdadeiros gatilhos. Esses são fatores que também devem ser levados em conta na avaliação clínica para o tratamento apropriado.
O diagnóstico de enxaqueca bem como a indicação do melhor tratamento, a seguir, deve ser feito por um especialista, que poderá indicar desde o uso de medicamentos até mesmo a modificação no estilo de vida, alimentação e exercícios físicos.

Já se sabe que um estilo de vida saudável e alimentação balanceada, com algumas restrições alimentares, ajudam a controlar a enxaqueca, minimizando a frequência das crises e a intensidade da dor.

Consulte sempre um médico, pois somente ele poderá fornecer a orientação adequada e prescrever o tratamento individualizado para cada caso.

Veja Também

Deixe um Comentário

Inscreva-se para receber os conteúdos mais importantes sobre saúde da mulher, bem-estar, empreendedorismo, carreira e muito mais!