Sete tipos de orgasmos diferentes para você experimentar

por Feito para Ela
Sexo com penetração não é a única forma de alcançar o clímax, viu? Descubra novos caminhos para o prazer nesta reportagem

Ah, o orgasmo!

 

Nem precisamos dizer – ou escrever – o quanto ele faz bem para a saúde. E não é só para a saúde sexual não, viu? Atingir o prazer máximo queima calorias, regula o ciclo menstrual, aumenta a imunidade, diminui o estresse, estimula a autoconfiança… ufa! A lista de vantagens é longa.

Mesmo assim, um estudo feito em 2018 apontou que, no Brasil, apenas 36% das mulheres têm orgasmo durante o sexo. Conduzido pela Prazerela com 1.370 mulheres entre 18 e 60+, de todas as regiões do Brasil, com predominância do Sul e do Sudeste, o levantamento ainda mostrou que o prazer vai além da penetração vaginal para 60% das respondentes, e 74% acreditam que a masturbação é o melhor caminho para o orgasmo.

No entanto, não existe uma forma única de chegar ao clímax. A ciência reconhece pelo menos sete tipos diferentes de orgasmo, ou seja, sete maneiras para chegar lá e alcançar todos esses benefícios para a sua saúde.  

Nós do Feito para ELA separamos essa lista super prazerosa para você saber tudo sobre cada um deles e, claro, experimentar com seu parceiro ou parceira. E lembre-se: o diálogo é fundamental para alcançar os caminhos do prazer. 

 

Vamos lá? 

 

1- Clitoriano 

É o tipo de orgasmo mais conhecido. Ocorre com a estimulação do clitóris, que é um órgão feminino dedicado exclusivamente ao prazer. Sua parte mais externa fica localizada acima da abertura da uretra, na junção frontal dos pequenos lábios, mas em sua totalidade, dentro da vagina, costuma ter bulbos com 10 centímetros de comprimento de cada lado. Alguns estudiosos apontam que 80% das mulheres precisam estimular o clitóris para alcançar o orgasmo.   

 

2- Ponto G 

É uma das zonas erógenas do corpo feminino que, quando estimuladas, dão muito prazer à mulher. Porém, pode ser um tiquinho desafiador encontrá-la. Uma das formas é inserir os dedos dentro da vagina e fazer um movimento de puxar para si, estimulando a região. A dica aqui é tentar sozinha primeiro e depois ensinar o companheiro ou companheira, que tal? 

 

3- Outros pontos  

Existem outras zonas erógenas femininas que podem ser estimuladas para atingir o orgasmo além do ponto G. Entre as mais conhecidas estão o ponto A, que fica localizado alguns centímetros acima do ponto G, ou seja, para alcançá-lo, é preciso ir fundo. Um brinquedo sexual adequado para o ponto pode ser uma ótima forma de atingir essa região sensível. A ciência lista, também, o ponto U, que fica entre o clitóris e a entrada da vagina. É o lugar onde estão localizadas as glândulas uretrais, ou de Skene e, embora seja mais difícil alcançar o orgasmo apenas com o estímulo desse ponto, é uma área que definitivamente amplia o prazer feminino. 

 

4- Seios e mamilos 

Embora sejam muitas vezes vistos como parte das preliminares, os seios e mamilos são fontes de grande prazer para a mulher. Podem ser estimulados tanto por meio de carícias com as mãos quanto com a boca. Um artigo publicado na revista Science of relationships apontou, inclusive, que em algumas mulheres, os carinhos e beijos nos mamilos ativam as mesmas regiões do cérebro que o clitóris, a vagina e o colo do útero.  

 

5- Anal 

O sexo anal pode até ser tabu para algumas pessoas, mas está mais que comprovado que as terminações nervosas existentes no ânus podem ser muito prazerosas sim. Estudiosos apontam, inclusive, que são vários os tipos de clímax possíveis de se alcançar pela prática. No caso das mulheres, esse prazer anal está ligado às glândulas de Skene (olha elas aqui de novo!), que são comparadas à próstata masculina em diversos estudos. Para desfrutar desse prazer, comece com calma e paciência para poder relaxar. Como a região é naturalmente mais seca do que a vagina, um bom caminho é estimular o ânus com lubrificantes íntimos à base água (que não causam alergia) utilizando os dedos e, só então, tentar a penetração sem esquecer do preservativo (camisinha) igualmente lubrificado.  

 

6- Combinado 

Esse tipo de clímax oferece um prazer muito intenso, já que combina diferentes pontos de estímulo. Uma forma de alcançá-lo é usar brinquedos sexuais que tocam, por exemplo, o ponto G e o clitóris ao mesmo tempo. E durante o sexo com penetração, é possível que você estimule o clitóris ao mesmo tempo, provando um prazer muito intenso. 

 

7- Mental 

A ideia aqui é chegar ao orgasmo com zero contato físico. Isso mesmo, sem encostar em nenhum ponto do seu corpo, nem você nem seu parceiro ou parceira! Ou seja, dá pra testar sozinha, pensando sobre fantasias sexuais favoritas e, ao mesmo tempo, tensionando os músculos do assoalho pélvico (como se você estivesse tentando fazer xixi). Outra forma de praticar o orgasmo mental é por meio do sexo tântrico, que tem como foco as sensações e pensamentos dos parceiros envolvidos.  

 

Fontes:  

https://revistamarieclaire.globo.com/Amor-e-Sexo/noticia/2018/09/apenas-36-das-mulheres-tem-orgasmo-durante-o-sexo-mostra-pesquisa-inedita.html  

https://delas.ig.com.br/amoresexo/2019-03-08/tipos-orgasmo.html 

https://brasil.elpais.com/brasil/2016/02/03/estilo/1454519124_932974.html 

Veja Também

Deixe um Comentário

Inscreva-se para receber os conteúdos mais importantes sobre saúde da mulher, bem-estar, empreendedorismo, carreira e muito mais!