Cinco dicas para fazer uma horta em casa

por Feito para Ela
Da escolha do local ao preparo de pratos mais saudáveis, saiba como oferecer alimentos produzidos por você para a sua família

Um dos primeiros passos para mudar os hábitos alimentares é saber de onde vem aquilo que se come. Se vier da sua própria casa, melhor ainda. Por isso, muitas pessoas estão tirando um tempo do dia para dedicar à produção de hortas residenciais. Os benefícios da prática vão além do consumo de alimentos frescos e saudáveis, incluindo a melhora na saúde mental proporcionada pelo contato com a terra e as plantas e, também, a economia para o bolso.

E não pense que horta é só para quem mora em casa e tem quintal com espaço. Muitos desses plantios podem ser feitos em vasos, dentro de apartamentos, e alguns até contam com uma “mãozinha” da tecnologia.

Veja abaixo as dicas para começar e manter uma horta doméstica em casa.

 

1- Escolha onde e o que plantar

Não importa o tamanho da sua casa ou apartamento, se há algumas horas de luz solar direta, esse é o local recomendado para a sua horta. Ela pode ser plantada diretamente na terra, em vasos, embalagens recicladas, floreiras, caixas de madeira ou até mesmo de forma vertical, em estruturas de madeira e bastante recomendada para apartamentos.

Na hora de decidir quais plantas cultivar, pense no que você e sua família mais consomem. Alguns exemplos para te ajudar na decisão:

  • temperos: salsinha, cebolinha, hortelã, manjericão e alecrim;
  • ervas: camomila, arruda, erva-cidreira e capim-limão;
  • hortaliças: alface, couve, espinafre, agrião, rúcula e repolho;
  • legumes: tomate, cenoura, beterraba, abobrinha, abóbora e pepino;
  • frutas: morango, amora e jabuticaba são boas pedidas mesmo para vasos.

 

2- Prepare o solo

Plantar não é simplesmente jogar as sementes ou dispor as mudas na terra. É preciso, antes, prepará-la para garantir que as plantinhas cresçam saudáveis e cheias de nutrientes.

Uma boa dica é optar por comprar a terra pronta, mas se preferir prepará-la em casa, você pode usar 1/3 de terra preta, 1/3 de um mineral chamado vermiculita e 1/3 de matéria orgânica, no caso de canteiros. Para vasos, é recomendado colocar argila expandida, cobrir com areia e, por último, jogar a terra. E tome cuidado com a profundidade do vaso, pois ela deve ser adequada ao tamanho daquilo que será plantado.

 

3- Hora de semear

Você pode optar por plantar as sementes dos alimentos, processo que costuma levar mais tempo, ou, ainda, adquirir mudas já desenvolvidas, o que funciona muito bem, principalmente, no caso das hortaliças.

Se optar pelas sementes, faça buracos de acordo com o tamanho delas: se forem grandes, meio centímetro é o ideal. Se forem pequenas, basta afundar levemente a terra com o dedo. No caso de legumes como cenoura ou abóbora, três sementes são suficientes. Para plantas que colhemos em maço, como salsinha e cebolinha, a recomendação é plantar cerca de oito sementes.

Para as mudas, basta garantir que toda a raiz esteja dentro da terra. E lembre-se de dar um espaço entre uma muda e outra para que a planta tenha espaço para crescer.

 

4- Água e adubo são fundamentais

Assim como as plantas nos servem de alimento, elas também precisam ser alimentadas. Portanto, adubação e irrigação são fundamentais para que sua horta fique mais viçosa e bem desenvolvida.

No caso da irrigação, a recomendação é regar duas vezes ao dia, nos momentos de luminosidade mais amena, como início da manhã e fim de tarde. Já a adubação é recomendada ao menos uma vez por mês, e pode ser feita com esterco de galinha ou gado, húmus, farinha de osso ou cinzas de carvão ou lenha. Dica: evite adubos químicos – afinal, o que você mais deseja são alimentos de qualidade para você e sua família, não é mesmo?

 

5- Da horta para o prato!

Cada planta tem um ciclo produtivo determinado, mas com cerca de 30 dias já é possível colher algumas delas, como a maioria dos temperos, ervas e alguns tipos de hortaliças. Já tomates e cenouras costumam demorar em torno de 45 dias. Tudo isso, claro, vai depender da época do ano e da luminosidade disponível para as plantas. Sim, no inverno, quando é mais frio e há menos disponibilidade de sol, a sua horta demora mais para nascer. E no verão, o ciclo é acelerado.

 

Bônus!

A tecnologia pode ser uma aliada na hora de produzir a sua horta em casa. Se você tem pouco tempo para se dedicar às plantas ou se, por exemplo, vive em um apartamento onde não bate sol, é possível contar com hortas tecnológicas para garantir o cultivo de alimentos em casa.

Há opções de diversas marcas e os preços variam de R$ 200 a R$ 400. A maioria é autônoma, ou seja, tem irrigação e luminosidade controladas automaticamente. E todas tem design para lá de bonito, ou seja, servem, também, para enfeitar o seu lar.

Seja qual for a sua decisão, produzir uma horta em casa é a garantia de alimentos mais saudáveis e frescos todos os dias. E a alimentação é uma das bases da sua saúde e da sua família.

 

Fontes:

https://vidasimples.co/ser/5-dicas-para-comecar-sua-horta-em-casa/

https://www.guiadasemana.com.br/casa-decoracao/galeria/dicas-para-fazer-horta-em-casa

https://revistacasaejardim.globo.com/Casa-e-Jardim/Paisagismo/Horta/noticia/2020/08/5-mini-hortas-autonomas-e-tecnologicas-que-demandam-poucos-cuidados.html

Horta em casa: o que plantar, como cultivar e cuidar das hortaliças

Veja Também

Deixe um Comentário

Inscreva-se para receber os conteúdos mais importantes sobre saúde da mulher, bem-estar, empreendedorismo, carreira e muito mais!