É possível fazer moda em tempos de pandemia?

por Feito Para Ela

Bem-sucedida, empreendedora inovou com peças de roupas especiais para profissionais de saúde

 

“Visto os profissionais de amor!”. Essa é a frase com a qual Regiane Cuenca, CEO da Rute Falco Ateliê inicia a conversa, e expressa um sorriso, quando a pergunta é sobre o seu negócio. E tem uma boa justificativa: ela trouxe de Dourados, Mato Grosso do Sul, para a cidade de Indaiatuba, no interior de São Paulo, um negócio de família, que se transformaria em uma das principais confecções de moda para o trabalho do país: a Rute Falco.

Tudo começou quando Regiane e a mãe se uniram no corte e costura, trabalhando no próprio quarto de casa, confeccionando toucas cirúrgicas. Os modelos e cortes eram modernos e alegres, diferentes das toucas tradicionais usadas em hospitais e tornado isso um objeto criativo, humanizado e necessário. Foi assim, que Regiane começou a construir sua história no universo da moda.
Depois das toucas, as opções começaram a compor seu novo catálogo e outros pedidos por itens profissionais como jalecos, aventais, scrubs (uniformes hospitalares) começaram a surgir e assim se consolidou sua carreira.
Regiane Cuenca fez um empreendimento com suas próprias mãos e talento próprio. No seu negócio investiu em marketing, fotografia, mídias sociais e, claro, em moda e estilo, e hoje é a CEO da Rute Falco, uma empresa bem-sucedida nesse segmento.

 

“No início da pandemia do COVID-19 também fomos pegos de surpresa, como todo o mercado. Foram momentos de choque. Falava-se muito sobre os cuidados pessoais e de proteção básica, lavagem das mãos, uso de máscaras etc. Foi neste momento que os profissionais nos procuraram e queriam algo mais”, comenta Regiane.

O scrub, muito usado em cirurgias, foi o gatilho para um crescimento surpreendente durante a pandemia agradando bastante os profissionais da saúde. “As pessoas começaram a enxergar o scrub como essencial, tanto na proteção pessoal como de sua família também. Oferecemos uma variedade de tecidos, dos básicos aos mais tecnológicos, que são muito confortáveis e trazem segurança. O scrub foi um item essencial para o sucesso da Rute Falco neste período”, diz Cuenca.

Baseado nisso, a procura por essas e outras peças da coleção aumentou consideravelmente. Segundo Regiane, os profissionais consideram essas roupas associadas com as de proteção individual, mas com um toque fashion. “Na pandemia os pedidos cresceram bastante com esses itens, que oferecem proteção, conforto e conseguem ficar bem vestidos, com qualidade e praticidade”, diz ela.

O que antes era somente um pedido de jaleco ou um scrub expandiu bastante, com um apelo bem grande junto aos profissionais de saúde. “Criamos um avental de TNT estampado e na gramatura correta que oferece segurança para os médicos da pediatria. Foi gratificante poder gerar sorrisos em dias cinzas da pandemia com nossos aventais colorindo o ambiente de trabalho”, completa.

Os números satisfatórios após um ano também foram misturados a insegurança num cenário incerto. Contudo, Regiane ponderou e foi obstinada no mundo dos negócios e da moda. “Superamos esse momento com força de vontade, determinação e principalmente ponto de equilíbrio, mesmo fazendo muitas atividades em conjunto”.

“Temos que cuidar da nossa essência e manter um ponto de apoio em nós mesmo. Para ser uma mulher profissional decidida e com disponibilidade para planejar e executar temos que lidar com um desafio diário e eu sou persistente”, diz a CEO da Rute Falco, motivada com tudo que conquistou até agora.

Veja Também

Deixe um Comentário